domingo, 29 de março de 2015

Neuma Figueiredo

No dia 02 de março de 2015 o professor Piton nos deu um crachá escrito Setor de fiscalização urbana, uma imagem de um sorriso colorido e um vale gentileza e foi conosco até o Campo Grande para que cada aluno fizesse a sua intervenção com as pessoas ali presentes.
Com o crachá do Setor de fiscalização urbana abordei um vendedor de água de côco mostrando o crachá e dizendo que eu estava fazendo uma fiscalização em locais que vendiam alimentos e aí dei início à vistoria do conteúdo da caixa de isopor que tinha armazenado os côcos a serem vendidos. Aí falei de uma mochila suja que estava junto com os côcos e que isto não é correto. O rapaz ficou muito tenso e disse que eram as coisas dele e que este tinha que levar e então respondi, mas você poderia colocar em outro local separado cos côcos, porque isto é anti-higiênico. O vendedor reagiu nervoso repetindo que não tinha onde guardar e tinha que guardar ali e também repeti que ele poderia pensar em outra forma de guardar separado dos côcos.
Abordei 3 pessoas com o vale gentileza e abordei perguntando: se você tivesse de trocar este vale gentileza, trocaria de que forma? O primeiro rapaz me olhou com cara de interrogação e disse: por nada (e ficou com o cartão), uma vendedora de bolo não entendeu, então expliquei que poderia ser por um favor ou uma atitude, ou um abraço, sorriso e então a mesma me respondeu me respondeu: por um sorriso, porque é isto que precisando, descontrair, o terceiro rapaz só olhou para mim e disse: não quero não, estou com pressa.
Com a imagem do sorriso abordei colocando-o na frente da minha boca e perguntava: o que você acha? Uma senhora ficou só sorrindo sem saber o que dizer, um jovem disse: ótimo, massa! Outro rapaz disse: o seu é melhor.
Percebi com o crachá que o vendedor nem sequer verificou o crachá e respondeu logo na defensiva e automaticamente. Com relação à imagem do sorriso penso que pode existir pessoas que almejam a descontração, acredito que faltem mais oportunidades.  O uso do vale gentileza deu para perceber uma certa dificuldade para as gentilezas e acho que a correria da nossa vida está interferindo nisto.
Neuma Figueiredo




      


Neuma Figueiredo


Outra atividade realizada na disciplina Tridimensional 3 com o professor Piton foi a entrega de uma caixa contendo 7 objetos e um envelope lacrado contendo um projeto do que pretendo construir com os referidos objetos, cuja construção deve estar relacionada com alguma profissão. Coloquei um arame, um pedaço de esponja, uma caixa pequena de acetato, uma caixinha de papel forrada com um laço, um pedaço de corrente, um copinho plástico (medidor de medicação) e um pedaço de papel de revista dobrado. Dei esta caixa para Tiago e recebi a caixa de outra colega.
A orientação do professor foi a seguinte: construir algo com os objetos do projeto escolhidos pela colega contidos na caixa  e livremente construir algo sem tentar pensar no que a colega escolheu para o seu projeto.

Na caixa pequena que recebi da colega continha 7 objetos, os quais eram: uma seringa descartável, um fone de ouvido, um pingente de peixe dourado, um búzio, um papel enrolado, um pequeno prendedor de cabelo plástico em forma de mola e um espiral de caderno. Levei um bom tempo olhando tudo e pensando o que faria. Imaginei então a profissão Pescador e pensei na mola sendo o mar, colei a seringa no papel enrolado e peguei o fio do fone de ouvido e arrodeei o mesmo sobre a seringa, prendendo-a junto ao rolo de papel e o prendedor de cabelo. Fiz isto para demonstrar a seringa como uma vara de pescar e usei o búzio como se fosse uma pedra. Em seguida, como poderia usar mais dois objetos, peguei uma tampa de caixa para usar como base e colei toda a instalação e também utilizei um pedaço de cordão prendendo o mesmo na seringa e no pingente do peixe, para concluir a vara de pescar pescando um peixe. Vejam abaixo como ficou:
                

Instalação da profissão pescador
    
    
A orientação do professor Piton foi também a construção de um trabalho com o valor de R$5,00. Fui até a Le Biscuit e comprei massa para biscuí no valor de R$3,49 e mais um arame no valor de R$2,00. Como ultrapassou R$0,49 (10% do valor a mais) deixei algum material sem ser utilizado para se aproximar do valor. Inicialmente com o arame fiz a estrutura de uma bicicleta carregando uma mercadoria e depois fui acompanhando a estrutura do arame com a massa de biscuí no formato da bicicleta para representar a profissão Ciclista. Veja como ficou abaixo:




    
       
Neuma figueiredo


Minibio




Neuma Figueiredo cursa Artes Plásticas, e-mail neuma_t@hotmail.com, amante da pintura, desenhos e esculturas, tento me descobrir no mundo das Artes. Valorizo a importância de seguir o caminho que traz a realização e busco a maior dedicação possível em tudo que faço.
            Dentre os trabalhos que realizei e mais me identifiquei foi a pintura em tela com tinta acrílica e também a técnica espatulada. Trabalhos com caneta nanquim e escultura também me desperta interesse em trabalhos, daí admiro e observo a prática destas técnicas para ver qual(is) desta(s) tenho mais afinidade para expressar idéias e mensagens.  

Neuma Figueiredo


Apresentação dos Cadernos do Artista


 
 Neuma Figueiredo